E no meio do caminho tinha cor

Fotografia | 26/01/2016

Compartilhe:


“Registrar a efêmera arte urbana é isso: com a câmera que você tem na mão, é preciso enquadrar tanto o objeto quanto o entorno, o contexto. O diálogo entre a rua e a arte é intenso e revelador do estilo, do pensamento, da bagagem que cada artista carrega – seja aqui no Brasil, na França, na Grécia.”

Juliana Diniz é jornalista, diretora da Sputnik 360, fotógrafa e leitora curiosa do mundo.
_